19/02/2011

A Fórmula de Pick e a Aproximação de PI

Georg Alexander Pick (1859 – 1942) desenvolveu um teorema em 1899 que permite calcular a área de um polígono simples sobreposto a uma malha quadriculada, relacionando somente os nós localizados no perímetro deste polígono e o número de nós internos a ele.

Definição 1: Um nó é definido pela intersecção de duas retas da malha.

image

[Figura 1 - Nó]

Definição 2: Um polígono simples é aquele que não possui buracos no seu interior, nem intersecções com suas arestas.

image

[Figura 2 – Polígono simples e polígonos não-simples]

Teorema 1: Seja P um polígono simples. Sejam B o número de nós coincidentes ao perímetro e i o número de nós internos ao polígono. A área do polígono P será dada pela fórmula de Pick:

clip_image002

Para determinarmos a área de um triângulo, vamos considerar a figura abaixo, onde os pontos vermelhos são os coincidentes ao perímetro e os pontos verdes são internos AP polígono.

image [Figura 3 - Triângulo]

Então, termos que B = 12 e i = 4. Aplicando na fórmula de Pick, obtemos:

clip_image002[4]

Pela fórmula conhecida para calcula de áreas de triângulos temos que:

clip_image002[6]

Vimos que é relativamente simples o cálculo. Claro que para determinar as áreas de triângulos é mais direto pela fórmula tradicional, mas para polígonos de complexa geometria, fica fácil determinar sua área:

image 

[Figura 4 – Polígono com geometria complexa]

Temos que B = 96 e i = 157, logo:

clip_image002[8]

Um estudo mais detalhado sobre a aplicação do Teorema de Pick em polígonos pode ser vista no link: http://cmup.fc.up.pt/cmup/pick/index.html

Como podemos relacionar o Teorema de Pick com π? Sabemos que π está relacionado com a fórmula da área do círculo:

clip_image002[10]

Podemos encontrar aproximações para π utilizando o Teorema de Pick, encontrando polígonos que melhores se ajustem ao círculo.

Considere a figura 5 um círculo de raio unitário:

image

[Figura 5 – Círculo de raio 1]

Vejam que este círculo está entre os quadrados inscritos e circunscritos a ele. Vamos aproximar o valor de π pelos dois polígonos e observar qual melhor aproxima o valor de π. Para a aproximação pelo polígono interno, considere:

image

[Figura 6 – Aproximação pelo polígono inscrito]

Temos que B = 4 e i = 1, logo:

clip_image002[12]

Pela equação (4), obtemos uma aproximação de π:

clip_image002[14]

Uma aproximação muito ruim. Agora considere a figura abaixo, com o polígono circunscrito:

image 

[Figura 7 – Aproximação pelo polígono circunscrito]

Temos que B = 8 e i = 1, logo:

clip_image002[16]

Pela equação (4), obtemos uma aproximação de π:

clip_image002[18]

Vejam que os valores encontrados em (5) e (6) são muito ruins, mas podemos aproximar melhor efetuando uma média entre os valores encontrados:

clip_image002[20]

Aproximou, mas ainda é muito ruim. Vamos efetuar o mesmo procedimento para uma círculo de raio 3 unidades de comprimento:

image 

[Figura 8 – Círculo de raio 3]

Vemos que o octógono é o polígono que melhor aproxima o círculo. Então temos que B = 16 e i = 21, logo:

clip_image002[22]

Pela equação (4), obtemos uma aproximação de π:

clip_image002[24]

Melhorou a aproximação, mas podemos melhorar ainda mais. Vamos aproximar π partindo de um círculo de raio 10 unidades de comprimento:

image

[Figura 9 – Círculo de raio 10]

Temos então que B = 36 e i = 293. Logo pela fórmula de Pick:

clip_image002[26]

Pela equação (4), obtemos uma aproximação de π:

clip_image002[28]

Vemos que ainda há o que melhorar. Tomemos um círculo de raio 30 unidades de comprimento:

image 

[Figura 10 – Círculo de raio 30]

Temos então que B = 88 e i será igual a 1 quadrante vezes 4 mais 1 (que é o nó da origem comum aos quatro quadrantes: i = 2781. Logo pela fórmula de Pick:

clip_image002[30]

Pela equação (4), obtemos uma aproximação de π:

clip_image002[32]

Percebemos que o valor de π vai se aproximando cada vez mais de seu valor real. Poderíamos continuar com uma quantidade de nós cada vez maior para melhor aproximação, no entanto as ferramentas que disponho são totalmente manuais, gerando um trabalho enorme! Mas vejam que é natural que quando a quantidade de nós tende ao infinito, o valor aproximado de π tende ao seu valor real.


Vejam Mais:

A Fórmula de Pick no blog Fatos Matemáticos
O Teorema de Pick

7 comentários:

  1. Olá, Kleber!
    Muito interessante! Eu sou fissura do por esses processos! Engraçado, eu estou na reta final, para terminar um trabalho sobre: como determinar a área de polígono convexos e de certo modo, por um método parecido com esse! Valeu!
    Um abraço!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o post Kleber. É sempre bom relacionar assuntos aparentemente distintos na Matemática. Obrigado pela citação do link. Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Valdir,
    ficarei aguardando seu post. Também gosto desses métodos não convencionais para resolução de problemas.

    Paulo,
    Eu descobri por acaso essa fórmula de Pick, então fui pesquisar e no link que coloquei acima tem um tratamento muito completo sobre o assunto de modo que seria difícil agregar algo novo. Então pensei na possibilidade de calcular a área do círculo, mas acabei por aproximar $\pi$ que fica mais interessante.

    Abraço a todos.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Kleber!

    Essa postagem tinha que aparecer em alguma das edições do carnaval! É muito boa e interessante! Demorou! KKKKKKKKKKKKKK!

    Sucessos! Até a próxima!

    Um abraço!!!!!

    ResponderExcluir
  5. olá, Kleber!
    Gostaria que vc mostrasse exercício de como aplicar a fórmula de pick.
    valeu!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Excelente post, a fórmula é muito simples e interessante. Hoje durante a aula de matemática aproveitei que o livro mostrava polígonos semelhantes usando papel quadriculado e perguntei para o professor se ele conhecia a fórmula de Pick para calcular a área desses polígonos e ele respondeu: "Fórmula de Pick? isso se faz com integral, não?" e me pediu para levar essa fórmula para a próxima aula.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Israel, seu prof. se surpreenderá com a simplicidade do método e é ótimo para se trabalhar em sala de aula.

      Obrigado pela visita e comentário. Abraços!

      Excluir

Por favor, leiam antes de comentar:

▪ Escreva um comentário apenas referente ao tema;

▪ Para demais, utilize o formulário de contato;

▪ Comentários ofensivos ou spans não serão publicados;

▪ Desde o dia 23/07/2013, todos os comentários passaram a ser moderados. Para maiores detalhes, veja a nota de moderação aqui;

▪ É possível escrever fórmulas em $\LaTeX$ nos comentários deste blog graças a um script da Mathjax. Para fórmulas inline ou alinhadas à esquerda, escreva a fórmula entre os símbolos de $\$$; Para fórmulas centralizadas, utilize o símbolo duplo $\$\$$.

Por exemplo, a^2 + b^2 = c^2 entre os símbolos de $\$\$$, gera:
$$a^2+b^2=c^2$$
▪ Para visualizar as fórmulas em $\LaTeX$ antes de publicá-las, acessem este link.

Redes Sociais

Arquivo do Blog

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...